“ESG” GANHA RELEVÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE EMPRESAS

A sigla ESG é oriunda do termo em inglês Environmental, Social and Governance, e diz respeito a um índice que avalia as operações empresariais conforme os seus impactos em três eixos da sustentabilidade – o Meio Ambiente, o Social e a Governança-, com intuito de auxiliar no desenvolvimento e aprimoramento financeiro.

No campo do investimento, essa sigla incorpora questões ambientais, sociais e de governança como critérios de uma avaliação mais ampla nas empresas, ultrapassando as tradicionais métricas econômico-financeiras.

O investimento com viés sustentável se tornou um atrativo para os investidores ao redor do mundo ante a crescente conscientização sobre questões como mudanças climáticas, desmatamento, uso de plásticos, entre outros aspectos que fazem com que uma empresa se destaque diante de tantas outras no mercado.

Nesse cenário, cada um dos pilares da terminologia ESG tem sua base guiada, de forma direta ou indireta, de modo que caso sua utilização não se paute pelos regulamentos adequados, o sistema em questão perde sua efetividade, transparência e exatidão – características extremamente importantes para as empresas que prezam por um crescimento econômico em consonância a questão socioambiental.

É preciso conhecer a fundo cada uma das letras três letras que formam a sigla ESG – seu significado, sua importância e sua concretização – a fim de que sua utilização possa garantir benefícios, credibilidade e segurança jurídica às empresas.

Os relatórios precisam estar alinhados com atividade e investimento da empresa-alvo e devem mostrar não só para o público interno, mas também para toda a sociedade, que atitudes estão sendo tomadas para atingimento dos critérios ambientais desejados. Cabe, nesse sentido, observar que se não houver um alinhamento das siglas (Ambiental, Social e Governança), essa autodeterminação, em vez de trazer proveitos, resultará em riscos e impactos negativos.

Além disso, os responsáveis por alinhar as atividades empresariais com as normas ambientais precisam compor um grupo ser diverso e competente para conhecer as questões ambientais, que são caracterizadas por sua complexidade e especificidade, e, assim, atingir as expectativas das empresas que resolvem investir em um alinhamento sustentável. Assim, torna-se perceptível que ainda há muito a ser feito para que resultados de longo prazo sejam alcançados, mas o crescente foco e envolvimento nas questões ambientais, sociais e de governança pelos investidores e demais atores do mercado, bem como, pela sociedade em escala global, já tem causado um impacto comportamental significativo.

Posts Relacionados

Compartilhe:

Posts Recentes

Envie uma mensagem